Grupo de Jovens de Anjo

Vós sois o Sal da Terra a luz do mundo: no Evangelho de Marcos 9, 50

Aliança com Deus

Deixe um comentário

A Paz de Cristo.

Retirado do livro: Riquezas da Igreja, por Prof. Felipe Aquino, o trecho a seguir me ajudará a explicar a aliança com Deus que existe em nós. É um trecho pequeno, mas com grande conteúdo.
Porém, logo advirto de que é necessário primeiramente um coração humilde para se compreender que ser servo de Deus é salvação.

Rezemos juntos:

Vinde Espírito Santo, enchei os corações dos vosso fiéis E acendei neles o fogo do Vosso amor. Enviai o Vosso Espírito e tudo será criado, e renovareis a face da terra.

OREMOS: Deus, que instruístes os corações dos vossos fiéis com a Luz do Espírito Santo, Fazei que apreciemos retamente todas as coisa, segundo o mesmo Espírito, E gozemos sempre da Sua consolação, por Cristo Senhor Nosso. Amém!

Agora partamos a leitura:

A aliança do Senhor

No Deutoronômio, Moisés disse o seguinte ao povo: “O Senhor nosso Deus fez conosco uma aliança em Horeb. Não foi com os nossos pais que o Senhor conclui essa aliança, mas conosco, que estamos aqui vivos hoje” ( Dt 5,2-3).
Por que não firmou a aliança com seus pais?Porque “a lei não é feita para o justo” ( 1 Tm, 1,9) . Ora, seus pais eram justos; tinham o conteúdo do Decálogo gravado em seus corações e em suas palmas, pois amavam a Deus que os criara e abstinham-se de toda injustiça para com o próximo. Não precisavam da advertência de uma lei escrita, porque tinham em si mesmos a justiça da Lei.
Mas, quando essa justiça e esse amor para com Deus caíram no esquecimento e se extinguiram no Egito, tornou-se necessário que Deus, em sua grande bondade para com os homens, se manifestasse de viva voz.
Com seu poder fez sair seu povo do Egito, para que o homem voltasse a ser discípulo e seguidor de Deus; e castigou os desobedientes, afim de que o povo não desprezasse o seu Criador.
Alimentou-o com o maná, para que recebesse um alimento espiritual, conforme disse também Moisés no Deuterômio: “[Ele] te alimentou com o maná que nem tu, nem teus pais conheciam, para te mostrar que não só de pão vive o ser humano, mas de tudo o que procedei da boca do Senhor” ( Dt 8,3).
Deu ainda o mandamento do amor de Deus e ensinou a justiça para com o próximo, a fim de que o homem não fosse injusto nem indigno de Deus. Assim, por meio do Decálogo ( mandamentos da lei de Deus), Deus preparava o homem para a sua amizade e para a concórdia como próximo. Era o homem que tirava proveito de tudo isso, uma vez que Deus não tinha nenhuma necessidade do homem.
Efetivamente, tudo isso contribuía para a glória do homem, dando o que lhe faltava, isto é, a amizade de Deus. Porém, isto nada acrescenta a Deus, pois ele não tinha necessidade do amor do homem.
O homem é que precisava da glória de Deus, a qual de modo algum poderia obter senão servindo a Deus. Por isso, Moisés lhe disse de novo: “Escolhe, pois a vida, para que vivas, tu e teus descendentes, amando” ( Dt 30,19).

Repito: “A lei não é feita para o justo” ( 1 Tm, 1,9). A lei foi feita quando a justiça e o amor para com Deus caíram no esquecimento, tornando-se necessário que Deus, em sua grande bondade para com os homens, se manifestasse de viva voz.
É explicado que Deus infinitamente bondoso achou uma maneira de nos levar de novo para Ele, mesmo após tamanho esquecimento nosso, pois afinal é Ele o nosso Pai. Entretanto, mesmo nos dando a oportunidade de voltar para Ele, Deus não nos deixa de mostrar que é o grande criador e merecedor de respeito, castigando os desobedientes e mostrando que não só de pão vive o ser humano, mas de tudo o que procedei da boca do Senhor” ( Dt 8,3).
E isso acontece a todo momento comigo e com você, existe um esquecimento de Deus, uma falta de reconhecimento e agradecimento.
Mas o que Deus faz? Ele é justo, portanto não nos dá nada sem que haja merecimento.
É citado acima: “que Deus ensinou a justiça para com o próximo, a fim de que o homem não fosse injusto nem indigno de Deus”, ou seja, nós temos acesso ao conhecimento necessário para compreender e servir aos mandamentos do Senhor, e este conhecimento foi deixado pelo próprio Deus, seja por meio de palavras de sua própria boca, ou por exemplos de quem o seguiu primeiro, deixando para nós uma herança de fé e obediência.
Não somos indignos de Deus, pois Ele nos deixou uma aliança, e esta aliança não implica nada a Ele, mas totalmente a nós, pois nós é quem necessitamos de Deus.
“O homem é que precisava da glória de Deus, a qual de modo algum poderia obter senão servindo a Deus. ”
Servir a Deus não por vaidade, mas por necessidade. Servir a Deus não por obrigação, mas por amor. Servir a Deus não apenas pela lógica, mas por agradecimento.

Por isso disse anteriormente que é necessário primeiramente um coração humilde para se compreender que ser servo de Deus é salvação. Ninguém quer ser servo de ninguém ou de nada, pois logo vem o orgulho passando por cima da humildade fazendo-nos pensar que ser submisso é humilhante.
Mas lhe pergunto se você sabe o que Deus nos pede?
Ele nos pede: “Amarás O SENHOR, teu DEUS, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o entendimento
(Mt 22,37) e amarás o próximo como amas a ti mesmo ( Mc 12,28).
Ser submisso a tamanho amor nunca será humilhante meus irmãos. Entender que as vezes é necessário muito mais humildade de ficar em silêncio do que falar demais, entender que aceitar o próximo como ele é e não se afastar dele por desprezo são atos de grande amor, um grande crescimento para todos nós. E não deixa de ser submissão, submissão ao amor.
Vejo tanta gente submissa a coisas fúteis, como possuir o melhor carro, o mais novo lançamento de smart-phone, a roupa da moda, as medidas perfeitas, que acabam se tornando escravas disso com alegria, mesmo que isso não traga nunca total felicidade por se tratar de algo insaciável. E realmente sinto muito por elas, pois são submissas ao luxo e ao próprio ego e não a Deus, que é a verdadeira felicidade, que não cobra nada além de amor e que não quer nada além do nosso bem.

E para isso Deus nos deu uma aliança seguida de discernimento: para servi-lo, pois Dele necessitamos.

Obrigada, amado Senhor, meu Deus por tudo que me destes todos os dias e pela ciência de poder buscá-lo junto da certeza de encontrá-lo.

Fiquem com Deus meus queridos e não se esqueçam de serem submissos ao que realmente trás a felicidade. Deus.

Cássia Akiko Kawamura

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s